sábado, 27 de junho de 2009

Diminuição de actividade do Sol !


O sol passa por um de seus períodos mais quietos por quase um século, praticamente sem manchas solares (explosões na atmosfera solar) e emitindo poucas chamas.

A observação da estrela mais próxima da Terra está intrigando os astrónomos, que estão prestes a estudar novas imagens do sol captadas no espaço na Reunião Nacional de Astronomia do Reino Unido.

O sol normalmente passa por ciclos de actividade de 11 anos. Em seu pico, ele tem uma atmosfera efervescente que lança chamas e "pedaços" gasosos super quentes do tamanho de pequenos planetas. Depois deste pico, o astro normalmente passa por um período de calmaria.
Esperava-se que o sol voltasse a esquentar no ano passado depois de uma temporada de calmaria. Mas em vez disso, a pressão do vento solar chegou ao seu nível mais baixo em 50 anos, as emissões radiológicas são as mais baixas dos últimos 55 anos e as actividades mais baixas de manchas solares dos últimos 100 anos.
Segundo a professora Louise Hara, do University College London, as razões para isso não estão claras e não se sabe quando a actividade do sol vai voltar ao normal.
"Não há sinais de que ele esteja saindo deste período", disse ela à BBC News.
"No momento, há artigos científicos sendo lançados que sugerem que ele vai entrar em um período normal de actividade em breve."
"Outros, no entanto, sugerem que ele vai passar por outro período de actividades mínimas - este é um grande debate no momento."


Mini era do gelo

Em meados do século 17, um período de calmaria - conhecido como Maunder Minimum - durou 70 anos, provocando uma "mini era do gelo".
Por isso, alguns especialistas sugeriram que um esfriamento semelhante do sol poderia compensar os efeitos das mudanças climáticas.
Mas segundo o professor Mike Lockwood, da Universidade de Southhampton, isso não é tão simples assim.
"Quisera eu que o sol estivesse vindo a nosso favor, mas, infelizmente, os dados mostram que não é esse o caso", disse ele.
Lockwood foi um dos primeiros pesquisadores a mostrar que a atividade do sol vinha decrescendo gradualmente desde 1985, mas que, apesar disso, as temperaturas globais continuavam a subir.
"Se você olhar cuidadosamente as observações, está bem claro que o nível fundamental do sol alcançou seu pico em cerca de 1985 e o que estamos vendo é uma continuação da tendência para baixo (na actividade solar), que vem ocorrendo há cerca de duas décadas."
"Se o enfraquecimento do sol tivesse efeitos resfriadores, já teríamos visto isso a esta altura."


Meio termo

Análises de troncos de árvores e de camadas inferiores de gelo (que registram a história ambiental) sugerem que o sol está se acalmando depois de um pico incomum em sua actividade.
Lockwood acredita que, além do ciclo solar de 11 anos, há uma oscilação solar que dura centenas de anos.
Ele sugere que 1985 marcou o pico máximo deste ciclo de longo prazo e que o Maunder Minimum marcou seu ponto mais baixo.
Para ele, o sol agora volta a um meio termo depois de um período em que esteve praticamente no topo de suas actividades.
Dados do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês) mostram que as temperaturas globais subiram em média 0,7 C desde o início do século 20.
As projecções do IPCC são de que o mundo vai continuar a esquentar, e a expectativa é de que as temperaturas aumentem entre 1,8 C e 4 C até o fim deste século.

Ninguém sabe ao certo como funciona o ciclo e altos e baixos na actividade solar, mas os astrónomos se vêem, agora, graças a avanços tecnológicos, em uma posição privilegiada para estudar o astro-rei.
Segundo o professor Richard Harrison, do Laboratório Rutheford Appleton, em Oxfordshire, este período de quietude solar dá aos astrónomos uma oportunidade única.
"Isso é muito animador, porque como astrónomos nunca vimos nada assim em nossas vidas", disse ele.
"Temos uma sonda lá no alto para estudar o sol com detalhes fenomenais. Com esses telescópios podemos estudar esta actividade mínima de um modo que nunca fizemos no passado."
Fonte: BBC

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Um presentinho.


«O selo deste prémio foi criado a pensar nos blogs que demonstram talento, seja nas artes, nas letras, nas ciências, na poesia ou em qualquer outra área e que, com isso, enriquecem a blogosfera e a vida dos seus leitores.»
.
.
.
.
Este presente foi-me dado por um amiguinho do http://chizendo.blogspot.com/... Obrigada, swadharma!!
.
Agora tenho que escolher 7 blogs dignos de receberem este prémio.
Mas eu escolho aguardar algum tempo e voltar mais tarde a este post para então presentear os 7 blogs com o selo.
.
:))

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Ha coisas que nos "tocam"... devemos estar "despertos" e não as deixar ir, sem plantar e fazer germinar a sementinha que transportam...


Hoje, li algures na blogoresfera uma frase que fez um reflexo lindo na minha consciência... e apeteceu-me posta-la aqui no blog...


"... a alegria de viver aquilo que se acredita..."


Hoje, para mim, isto é algo tão vasto e tão profundo, que me fascina.


segunda-feira, 22 de junho de 2009

Consuma conscientemente!

video

Falando hoje sobre o consumo de alimentos, infelizmente muitas pessoas ainda consomem com "síndrome de escassez". Com isso quero dizer que consomem como se a alimentação se fosse acabar.

A quantidade de alimentos de que o nosso corpo físico necessita, é pequena. Muitas pessoas "empanturram-se" de comida, da mesma forma que acumulam biblôs lá por casa, etc... vivem com síndrome de acumulação, como se necessitassem de ter muitas coisas em sua posse...

Existem ainda pessoas que obrigatoriamente têm que comer tudo aquilo que lhes colocam á frente, no prato ou na mesa, independentemente do facto de sentirem ou não, fome ou necessidade desses alimentos. Mas vivem com uma postura, de que têm que "açabarcar" tudo o que está á sua frente, não podem deixar nada no prato...

Qualquer destas atitudes são estados de desiquilibrio e devem ser corrigidos... porque no geral vão ter consequências na saúde e bem estar do ser humano, alem das consequências nos recursos do planeta.

Enquanto se consumir assim, os alimentos produzidos naturalmente (ao ritmo da natureza), serão insuficientes, fomentando a agricultura, piscicultura e outras culturas forçadas, industrializadas...

Nós podemos comer com naturalidade. Os alimentos não vão acabar... a era da escassez de alimentos já passou, há algumas gerações atrás... é hora de relaxar e comer somente aquilo que realmente necessitamos...

O acto da alimentação é um ritual de delicadeza, de aceitação dos alimentos que a Terra nos está a fornecer.

Sugiro também que evitem dar ás crianças alimentos como forma de compensação.

sábado, 20 de junho de 2009

O porquê!!


Para quem fica surpreso pelo facto de neste blog... com o tipo de temas que aborda... existirem tantos links de blogues de culinária... explico que isso se deve ao facto de ter muito prazer em cozinhar... cozinho como uma forma de criação, de expressão de algo... daí gostar de ir lendo as actualizações culinárias dos blogues da especialidade... são uma excelente inspiração...

Obrigada a todos os que contribuem com a sua criatividade e os seus conhecimentos de culinária...



sexta-feira, 19 de junho de 2009

Novos pontos cardinais... ou a bússola avariada!


A minha bússola interna vai-me orientando em direcções até agora desconhecidas ou consideradas erradas.

A determinada altura, já dou por mim pensando que devo estar a caminhar no sentido errado, tal é a quantidade de tomadas de consciência que vou fazendo, que são absolutamente opostas aquelas com que eu tenho vivido...

E que alem de opostas, ainda eram vistas como reprováveis e puníveis pelo universo...

A mais recente : a crença de que devemos sentir algo quando outros estão em sofrimento ou com problemas, que devemos "condoer-nos", compadecer-nos... a "bússola que anda doida", diz que isso está errado, que o certo é o desapego... mas sobre esta situação as minhas crenças antigas dizem que não devemos ser egoístas, que é certo sentir algo... mas a "bússola doida" está completamente no comando e acaba sempre vencendo ...ela diz que o que está errado é a crença antiga... com isto tudo ou fico doida ou fico iluminada ou sou excluida dos meus grupos de intimos por me considerarem insensivel...

Ou a minha bússola anda doida... ou então a maioria daquilo que eu aprendi como sendo certo, não passou pelo crivo da minha consciência universal... e está sendo destronado.

terça-feira, 16 de junho de 2009

O que trazemos e o que levamos!... visão do Osho


O que trazemos e o que levamos.


Osho
Do livro "Mais Pepitas de Ouro“

Você vem ao mundo sem coisa alguma.
Assim, uma coisa é certa: nada lhe pertence.
Você vem absolutamente despido, porém com ilusões.
É por isso que toda criança nasce com as mãos fechadas, cerradas,
acreditando que está trazendo tesouros -e aqueles punhos estão vazios.
E todos morrem com as mãos abertas.
Tente morrer com as mãos cerradas -até o momento ninguém conseguiu.
Ou tente nascer com as mãos abertas -ninguém conseguiu também.
A criança nasce com as mãos fechadas,
com a ilusão de que está trazendo tesouros ao mundo,
mas não há nada nas mãos.
Nada lhe pertence, então você está preocupado com qual insegurança?
Nada pode ser roubado, nada pode ser tirado de você.
Tudo o que você está usando pertence ao mundo.
E um dia você terá que deixar tudo aqui.
Você não será capaz de levar coisa alguma com você.
Será que estou no caminho certo?
As indicações de que você está no caminho certo são muito simples:
a) Suas tensões começam a desaparecer.
b) Você fica mais e mais senhor de si. Mais e mais calmo.
c) Encontrará beleza em coisas que jamais concebeu pudessem ser belas.
d) As menores coisas começarão a ter imenso significado.
e) O mundo inteiro se tornará mais e mais misterioso a cada dia.
f) Você se tornará menos e menos culto e mais e mais inocente
-como uma criança correndo atrás de borboletas,
ou pegando conchas do mar numa praia.
g) Você sentirá a vida não como um problema,
mas como uma dádiva, uma bênção, uma graça.
Essas indicações crescerão continuamente se você estiver na pista certa.
Se estiver na pista errada, acontecerá exactamente o oposto.

domingo, 14 de junho de 2009

São dias... ihihih

E porque hoje só me apetece dizer palermices sem nexo... rsrsrs
(deve ser do calor... aqui, no Algarve, está tanto calor...)


Apeteceu-me fazer um post tambem doido... loucura faz parte da vida...

Pra exercitar o cérebro






«
»
«
»
«
»
«
»
«
»
«
»
«
»
«
»

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Ritmo circadiano!


A Wikipédia define ritmo circadiano assim:

"Ritmo circadiano, ou ciclo circadiano, designa o período de aproximadamente um dia (24 horas) sobre o qual se baseia todo o ciclo biológico do corpo humano e de qualquer outro ser vivo, influenciado pela luz solar.
O ritmo circadiano regula todos os
ritmos materiais bem como muitos dos ritmos psicológicos do corpo humano, com influência sobre, por exemplo, a digestão ou o estado de vigília, passando pelo crescimento e pela renovação das células, assim como a subida ou descida da temperatura.
O "relógio" que processa e monitoriza todos estes processos encontra-se localizado numa área
cerebral denominada núcleo supraquiasmático, localizado no hipotálamo na base do cérebro e acima das glândulas pituitárias.
Pesquisas recentes expandiram o sentido do termo, demonstrando que os ritmos circadianos estão também relacionados às marés, ao ciclo lunar e também à dinâmica climática da Terra através das correntes eólicas e marítimas, em especial se observado com relação aos animais migratórios. Dessa forma, a dinâmica circadiana não se reduz a uma questão fisiológica, mas também a uma conjuntura astronômica, geológica e ecológica."

E do livro "Apague a Luz", da Editora Campus... este excerto:

"(...)A maior mudança pela qual os seres humanos passaram, nos últimos 10 mil anos, aconteceu há menos de setenta anos. A electricidade e o uso indiscriminado da lâmpada eléctrica figuram, ao lado da descoberta do fogo, do advento da agricultura e da descoberta do tratamento com antibióticos, entre os marcos sem retorno na história da humanidade.
Em 1910, um adulto ainda dormia de nove a dez horas por noite. Hoje, esse adulto tem sorte se consegue dormir sete horas por noite. A maioria de nós não consegue. Esses números significam quinhentas horas a mais acordados por ano. Na natureza, dormiríamos 4.370 horas de um possível total de 8.760, ou metade de nossas vidas. Há oitenta anos, já tínhamos caído para 3.395 horas. Agora, temos sorte de atingir umas poucas 2.255 horas. Se a natureza conta o nosso tempo, e apostamos que sim, isso significa que só chegamos a viver a metade do que viveríamos. Talvez tenhamos dobrado esses números com cirurgias e antibióticos, mas imagine o quanto mais poderíamos viver se também dormíssemos...
Nos últimos trinta anos, desde 1970, encontramos novas paixões para acrescentar às antigas: fazer exercícios, ir ao médico, aguentar um tráfego cada vez mais ensandecedor, assistir a 150 canais e a filmes de verdade na TVcabo, além dos mais recentes bandidos: e-mail e eBay. Não admira que não sobra tempo para dormir ou cuidar das crianças.
A ciência do ritmo circadiano explica tudo. Todos os mistérios podem ser desvendados. Neste livro (Apague a Luz!), examinamos as evidências científicas através das lentes da biologia evolutiva e da biofísica. Os mapas moleculares nos mostram o caminho de casa e nos contam de novo o que sempre soubemos. O sono controla o apetite, e o apetite e o estresse controlam a reprodução. Dormir, comer e fazer amor controlam o envelhecimento.
Os hormônios melatonina e a prolactina são actores fundamentais em nossa conexão mente-corpo-planeta. Eles se comunicam com o sistema imunológico e com o sistema de metabolização de energia, em relação aos ciclos de luz-e-escuridão. A insulina e a prolactina orquestram a química cerebral que governa a serotonina e a dopamina no cérebro, para controlar nosso comportamento e estado de espírito. Serotonina e dopamina controlam o comportamento em relação à comida e ao sexo. Resultado: pouco sono faz você ficar gordo, faminto, impotente, hipertenso, canceroso, e com o coração doente.
A energia solar é a catalisadora de todo tipo de vida. A quantidade de luz que age sobre você informa os "controles" do seu "sistema" sobre a rotação e a órbita do planeta em que vivemos. Esse posicionamento global ajuda nossos sentidos a ficarem de olho no estoque de alimentos.
É essa comunicação cósmica que nos diz, desde o início dos tempos, quando comer, o que comer e quando reproduzir, para maximizar a comida disponível. Nós e todos os outros organismos neste planeta evoluímos com o giro do planeta - dentro e fora da luz do sol.
E ninguém menos do que o National Institutes of Health confirma que é um "dado" científico dizer que os ciclos de luz-e-escuridão:
ligam e desligam a produção de hormônas, activam o sistema imunológico, determinam a libertação diária, particularmente sazonais, dos neurotransmissores.
Acabamos de dizer que, anos e anos atrás, nós existíamos em sincronia com todos os ciclos biofísicos e ritmos da natureza. Hoje, não apenas controlamos o estoque de alimentos, mas também fazemos retroceder a noite e o tempo. Neste livro dizemos qual é o preço que estamos pagando por querer brincar de Deus.
Aqui está a conta: a infindável luz artificial com a qual convivemos é registrada, em nosso relógio interno, igual aos longos dias de verão, porque a noite nunca cai e o inverno nunca chega. Como mamíferos, somos teleguiados para armazenar gordura durante a exposição a dias longos e depois dormir - um pouquinho - ao menor sinal de fome.
Só que agora não dormimos e também não sentimos fome; pelo menos, não temos fome de carboidratos. É por isso que estamos gordos e ficamos cada vez mais gordos. Afinal, é sempre verão! Enquanto o fogo, com sua luz, estendeu nosso dia o suficiente para afectar o intelecto e a reprodução, a electricidade ilimitada pode simplesmente acabar com a gente.
Quando perguntamos ao Dr. Thomas Wehr, o chefe do departamento que estuda os ritmos sazonais e circadianos no NIH em Washington, se ele achava que a população tinha o direito de saber que com menos de nove horas e meia de sono por noite - ou seja, no escuro - as pessoas
a) nunca serão capazes de deixar de comer açúcar, fumar e beber álcool;

e b) com grande margem de certeza desenvolverão uma das seguintes condições: diabetes, doenças cardíacas, câncer, infertilidade, doença mental e/ou envelhecimento precoce, ele respondeu:"Bem, sim, ela tem o direito de saber. E deve ser informada; mas isso não vai mudar nada. Ninguém vai apagar mesmo as luzes..."Talvez não. Afinal, a luz é sedutora. Quanto mais tempo ficamos acordados, mais aprendemos. É por isso que os americanos são os melhores e os mais brilhantes - e também os mais doentes do mundo.(...)"
Quando não dormimos o suficiente, em sincronia com a exposição sazonal à luz, estamos alterando um equilíbrio da natureza que foi programado em nossa fisiologia ...

Num mundo cheio de estímulos em que se trabalha longas jornadas, onde temos supermercados e shoppings abertos até tarde, Internet com tudo o que se pode resolver on-line , onde existe luz artificial, néons e letreiros piscando a noite toda, onde a vida social começa tarde e se prolonga noite adentro, numa cidade em que é hábito se jantar tarde, com os encantos da televisão e da noite, que é quando muita gente encontra um momento mais tranquilo pra ler, estudar, cuidar da casa,colocar e-mails em dia, resolver coisas, fazer exercícios, fazer cursos....

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Hora do chá!... hoje indicado para desportistas... e não só...







"Chá alivia dores musculares e dá energia a atletas.

Bebida mistura erva-doce, canela e semente de mostarda em porções iguais.

A pesquisa foi desenvolvida na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), mas o chazinho não é muito diferente daqueles caseiros: erva-doce, canela e semente de mostarda em porções iguais. Essas especiarias foram escolhidas por combaterem o envelhecimento. São óptimos anti oxidantes.

“O ponto ideal [da água] é quando começa a levantar bolhinhas. Você apaga e está no ponto de colocar na xícara. Com a água pronta, colocamos o sache”, ensina Ana Vládia Moreira. A dose diária é de uma colher de chá em uma xícara de água. Ou seja, não adianta tomar um bule de chá. O necessário mesmo é uma xícara. A pesquisa mostrou que a maioria dos atletas teve uma redução do MDA, substância que causa lesões musculares e dores. O chá ajudou a diminuir a sensação de desgaste físico depois dos exercícios.

E se foi bom para quem se desgasta tanto, Ana Vládia Moreira diz que a mistura pode ter bons efeitos no dia-a-dia de qualquer pessoa. “Por ter papel anti oxidante e anti inflamatório, ele acaba sendo universal. Onde processos inflamatórios estão presentes, como uma simples dor de cabeça ou mesmo uma cólica, ele pode vir a ter efeitos atenuantes, principalmente preventivos se a pessoa tiver o hábito de beber”, explica a cientista de alimentos. "


http://g1.globo.com/globoreporter/0,,MUL1021351-16619,00-CHA+ALIVIA+DORES+MUSCULARES+E+DA+ENERGIA+A+ATLETAS.html

domingo, 7 de junho de 2009

Abrir ou fechar portas!


Com certeza prefiro abri-las!
Abrir as portas da alma,
Abrir as portas do sorriso,
Abrir as portas do coração,
Abrir as portas do amor,
Abrir as portas da paixão,
Abrir as portas do eu,
Abrir passagem para que a vida flua!

Nunca gostei de fechar portas!
Fechando as portas da alma,
posso deixar o Universo fora!
Fechando as portas do sorriso,
posso perder um amigo!
Fechando as portas do coração,
posso me tornar incessível!
Fechando as portas do amor,
posso não mais encontrar o caminho para outro amor!
Fechando as portas para a paixão,
fecharei a luz que alimenta a vida!

Fechando as portas do eu,
corro o risco de me trancar do lado de fora!
Fechando as passagens,
a vida se encerra na amargura;
porque ao fechar tantas portas nós nos fechamos também!
Por isso creio em portas abertas,
em sentimentos alados,
que voam como as andorinhas
para outras paragens quando o inverno lhes é rigoroso!
Sempre em nossas vidas teremos a vontade de virar a página de fechar a porta,
porém o que foi escrito continuará
escrito e mesmo de porta fechada
nós sabemos o que se esconde por traz dela!
Concordo que as portas foram feitas para serem abertas
e fechadas ao nosso belo querer ou prazer,
porém as portas da vida não,
porque a partir do momento em que foram abertas
nunca mais serão a mesma, mesmo fechadas,
pois sentimentos não se apagam,não se escondem, não se esquecem!

Daí eu crer em transpor os portais,
porém nunca fechar as portas,virar a página,
mas sempre na certeza de que nunca as apagarei,
seja da memória, do peito ou da vida!

Renovar é preciso, mas sem perder o prumo,
o ponto de partida,
pois afinal cada fato de nossas vidas,
de bem ou de mal,
é um degrau que subimos em busca do aperfeiçoamento do ser e da plena liberdade;
mas como ser livre se fecho as portas?


* Santaroza *